05/03/2017

Chegando em Dublin


Da última vez que escrevi aqui faltavam 10 dias para o meu embarque, ontem completei um mês aqui.

Não, não era e não é a minha intenção abandonar o blog, que mal começou, rs... mas, é que os últimos dias antes da viagem são corridos demais e os primeiros aqui ainda mais.

As duas últimas semanas no Brasil eu fiquei com os nervos a flor da pele, eu chorei muito,  não era tristeza, não era medo, mas fui tomada por um sentimento que até agora nem sei explicar muito bem o que era.

Eu chorava de saudade adiantada, eu chorava toda vez que olhava pro meu filho de 4 patas e chorava pela ansiedade e pela dúvida do que vinha pela frente, o inesperado assusta demais. Eu queria fazer um monte de coisa e ao mesmo tempo não queria fazer nada!

No dia da viagem então...eu queria que chegasse logo a hora de ir para o aeroporto ao mesmo tempo que eu queria ter mais dias ao lado das pessoas que deixaria.

Foi com emoção o último dia, várias coisas para fazer, o tempo curto. O medo de perder o vôo, mas no fim deu tudo certo. A família estava presente e eu nem preciso dizer que foi um chororo danado, né? Eu embarquei às 21:30 soluçando...

A viagem pela Latam foi muito tranquila. Confesso que quando vi um bebezinho bem perto imaginei que a noite não fosse ser muito calma, mas, graças a Deus ele capotou e eu também, logo após jantar e assistir a um filme. Meu namorado que tem medo de avião, jantou, tomou uma cervejinha para relaxar, assistiu ao mesmo filme e bye, bye... só acordamos de manhã.

Levei máscara de dormir, mas nem usei porque voo noturno é vida, tudo fica bem escurinho e as aeromoças só deixam abrir a janela na hora de servir o café da manhã, mas aquela almofadinha para o pescoço foi vida!

Às 13h chegamos em Frankfurt, como às 16h já iríamos pegar o próximo voo para Dublin achamos melhor não sair do aeroporto, esses aeroportos internacionais são enormes, tinha ônibus e trem para se locomover lá dentro... demos sorte do nosso portão ser bem próximo e 20 min de caminhada já estávamos acomodados nas cadeiras em frente ao portão. Nem foi preciso passar pela imigração, só pelo Raio X, onde examinaram a minha mochila, mas nada demais.

Dica! Fiquem de olho no portão, o nosso mudou duas vezes. Este segundo trecho foi operado pela Lufthansa e também foi bem tranquilo, eu pensei que por ser um voo curto nem iríamos ter direito a nada, mas rolou um lancinho, e 1 hora depois já estávamos pousando em Dublin.

Frioooooo! Mas, confesso que menos do que imaginei. Eu estava com um casaco que comprei na minha última viagem para o Chile e uma térmica, foi o necessário para não tremer... do Brasil eu já tinha contratado um transfer que já estava nos esperando.

Ah! Nossas bagagens vieram certinhas. Ufa! Maior tensão na hora de ir na esteira buscar... mas, deu tudo certo, embora elas tenham sido danificadas, elas chegaram inteiras e com tudo dentro!

O transfer nos deixou na acomodação temporária onde encontramos com a irmã do namorado que já mora aqui, fomos direito para a Three pegar os chips para nossos celulares, 20 euricos por mês com internet ilimitada, é vida... porque quando tu chega é só google maps para salvar! 

E nossa primeira foto não poderia ser outra né? Um dos pontos mais famosos de Dublin, The Temple Bar!

Ignorem a cara cansada e foca no sorriso feliz!

Continua...



0 comentários:

Postar um comentário