28/10/2016

Intercâmbio aos 30


Ok, não posso começar um post mentindo. Na verdade, é intercâmbio aos 31 anos, rs :D

Passada a confissão, sabe quando a vida parece estar ok, mas no fundo você sente um desconforto? Alguma coisa fica cutucando você... "ei! ei! isso não basta!", era o meu sentimento. Eu tentava não dar muita trela, sentia mas seguia tocando a vida, achando que uma hora isso ia passar, porque afinal de contas, eu já estava com 31 anos.

Muito se fala da crise dos 30... parece que no momento que esta idade chega começamos a nos sentir com a corda no pescoço, nem nova, nem velha, naquele meio termo que sempre me incomodou... e eu ficava me questionando o porque da ideia de formar uma família e me enfiar em um financiamento para ter algum patrimônio não me bastava, quando para todas as pessoas da minha idade parecia ser a oitava maravilha do mundo.

Sabe quando parece que você está atrasada em relação a vida porque não está plenamente satisfeita com a carreira, já passou por um divórcio e ainda não tem filhos? Inconscientemente eu me cobrava por não ter a vida que a sociedade dizia que eu precisava ter, eu inclusive quero ter filhos, mas não é uma regra que tudo precisa acontecer quando bate os 30.

É aquele velho ditado de que a grama do vizinho sempre parece mais verde, mas a gente esquece que isso não significa que esteja plenamente saudável. Que as pessoas podem estar em um relacionamento por comodismo e não por amor, ter um apartamento com varanda gourmet só que atolado em dívidas, com uma família bonita e mil conflitos, com um salário bacana e infeliz. É mais fácil imaginar que a vida do outro sempre é melhor, sem nem se questionar se aquela fantasia caberia na sua realidade, se te faria feliz...

Não estou dizendo que uma vida com família, casa, carro e um emprego não me fará feliz um dia, acho que existe timing pra tudo e quando for o meu irei viver intensamente, assim como estou mergulhada neste momento. E isso não quer dizer que eu não sinta a pressão, o meu relógio biológico vez ou outra me grita e eu preciso dizer pra ele me esperar mais um pouquinho.

A gente perde tanto tempo e atrasamos tanto nossa vida protelando coisas que podem mudar tudo, não é mesmo? Por isso, eu não quero mais esperar, hoje eu só quero esvaziar o guarda roupa e encher a minha mala, porque quando a vida está te empurrando para outra parte, não seguir é ficar e morrer cada dia um pouquinho. É preciso entender que não tem idade certa para sentir o sabor de realizar um sonho, para reescrever um destino, viver uma história. E eu só quero viver isso, sem esperar nada em troca, quero viver, compartilhar e quem sabe até mesmo inspirar pessoas a viverem as possibilidades que a vida dá e nem sempre a gente tem sabedoria para entender.

Por isso é importante ir, hoje consigo ter certeza de que a partir do momento em que colocar os pés em Dublin, minha cabeça irá se abrir para dar espaço a novas idéias e sonhos maiores. E por isso, eu vou, com 31 anos mesmo, porque sei que independente da idade eu não tenho que ter medo do caminho, tenho que ter medo é de não caminhar.

E você? Que sonho realizou quando já achava que não tinha mais tempo pra ele?

1 comentários:

  1. Oi Jana!

    A vida não é o que a sociedade impõe!!
    Acabei de ler um livro que conta a história de uma mulher que acabou de completar 60 anos e está infeliz no casamento, mas tem medo de se divorciar e "acabar" com a família! Mas e a felicidade? E a sua felicidade? É isso que conta =)

    Como vc disse, para realizar sonhos não tem idade! Até porque uns são mais difíceis que outras pra se realizarem e demandam tempo, dinheiro, logística kkkkk

    Beijos!

    ResponderExcluir